Cultura, Curiosidades, Dicas, Lugares, Sem categoria, Viagens

6 de janeiro de 2016

Trabalhando na Irlanda – parte 1: Tipos de vistos

Tags:, , , , , , , , , , , , ,

Chega em certo momento da vida, que nos deparamos com algumas escolhas que são decisivas para nossa carreira no trabalho ou nossa vida pessoal. É difícil acordar em um domingo de manhã e já ter as repostas e todo o caminho traçado em nossa mente como se fosse algo muito simples, pelo contrário, é algo dificílimo para qualquer pessoa.

Então, pensando nessa pessoa que teve um estralo da vida e que decidiu mudar tudo, e tentar uma nova jornada em um país totalmente diferente como a Irlanda, decidimos fazer uma sequência de posts que abordam tudo a respeito de como conseguir trabalho no exterior. Serão temas de diversos âmbitos, que serviram como base para você conseguir dar o primeiro passo na sua nova jornada.

É de senso comum que o visto para a entrada em certos países é um artefato de extrema importância e obrigatoriedade. Para cada país existe uma legislação que rege se é ou não necessário, e os tipos de vistos que a pessoa interessada precisa requerer. No caso da Irlanda, existem quatro tipos deles, sendo cada um com sua singularidade e descriminação.

 

Visto de turista

740178039151854

Foto: Divulgação

Brasileiros podem viajar para a Irlanda e outros países da Europa por até 90 dias sem precisar requisitar o visto no Brasil, isso por causa de um acordo que nosso país possui com a União Europeia. O visto de turista é concedido no aeroporto, na Irlanda, sendo que ao receber o mesmo, o visitante não poderá trabalhar no país. É necessário apresentar no Serviço de Imigração do aeroporto, a passagem de volta, passaporte válido por, no mínimo, seis meses após a data em que pretende sair do país, seguro-viagem de, no mínimo, 25 mil euros (com cobertura para acidentes e doenças), comprovação de dinheiro para se manter durante a viagem e comprovante de acomodação (confirmação do hotel onde irá ficar ou carta-convite de algum residente). 

 

Visto de estudante

educacao-financeira-universidades

Foto: Divulgação

 

Para mais de 6 meses

 Estudantes de cursos de no mínimo 25 semanas, com no mínimo 15 horas semanais, não precisam solicitar o visto no Brasil. Ao chegar ao aeroporto, todos os documentos básicos (passagem de volta, passaporte válido por no mínimo seis meses, seguro-viagem com cobertura para acidentes e doenças de no mínimo 25 mil euros) devem ser apresentados, juntamente com a carta da escola e carta que comprova a acomodação temporária, assim o estudante receberá um visto temporário. Após a entrada no país, o estudante deverá comparecer no Serviço de Imigração com todos os documentos e tirar o visto permanente, o Stamp 2.

Os documentos necessários são:

  • Seguro-saúde com cobertura para acidentes e doenças de no mínimo 25 mil euros na Irlanda;
  • Carta da escola que comprova a matrícula;
  • Extrato bancário de no mínimo 3 mil euros (da conta bancária que o estudante abrirá no país).

A partir de outubro de 2015, estudantes com curso de inglês de 6 meses receberão 8 meses de visto, podendo renovar por mais 2 vezes. Ou seja, o tempo máximo permitido para que o estudante fique no país estudando inglês será de 2 anos. Depois deste tempo é possível renovar com curso de graduação. Nessa modalidade de visto o estudante pode trabalhar até 20 horas semanais durante o período que estiver em aulas e por 40 horas semanais durante as férias, caso estas conhecidão com o período permitido para isto, que é de 15 de dezembro a 15 janeiro e entre maio e agosto.

Até 6 meses

Estudantes de cursos com duração de três a seis meses também não precisam solicitar o visto no Brasil. É preciso apresentar ao Serviço de Imigração no aeroporto, além dos requerimentos básicos (passagem de volta, passaporte válido por no mínimo seis meses, seguro-viagem com cobertura para acidentes e doenças de no mínimo 25 mil euros), a carta de matrícula da escola, e comprovar 500 euros para cada mês de permanência no país. Devem também se registrar na Imigração como no caso acima, mas irão receber um visto Stamp 2A, que não permite que o estudante trabalhe, mas que somente estude no país.

 

VISTO DE TRABALHO 

teaserbox_941143513

Foto: Divulgação

Há vários tipos de autorização de trabalho disponíveis atualmente; os dois principais são:

Work Permit

permissão de trabalho emitida para uma função específica, por um empregador específico e um local específico. Trabalhadores de várias áreas podem se candidatar, mas trabalhadores de áreas administrativas, varejo, produção em geral, educadores infantis, profissionais do turismo, e algumas outras, não tem direito. Os candidatos ao Work Permit devem solicitar o visto antes de chegar ao país e para isso precisam ter uma oferta de trabalho atual de um empregador reconhecido na Irlanda. Geralmente os candidatos devem receber um salário de pelo menos 30 mil euros por ano. No entanto, pode haver algumas exceções, como alunos que se formaram em uma universidade irlandesa ou instituto de tecnologia nos últimos 12 meses, por exemplo. Eles podem solicitar o Work Permit, mesmo se o salário for inferior a 30 mil euros por ano.

Green Card Employment Permit

está apenas disponível para profissionais altamente qualificados de profissões específicas, que estão em escassez no mercado de trabalho, como profissionais de Tecnologia da Informação e Comunicação, engenheiros, tecnólogos, entre outros.

A taxa para a solicitação do Green Card é de mil euros e pode ser paga pelo empregado ou pelo empregador. Caso não seja aceito, o dinheiro será devolvido. Para solicitar o Green Card, o trabalhador precisa ter uma oferta de trabalho de uma empresa irlandesa, em uma das áreas listadas, com salário acima de 30 mil euros.

Todos os portadores de permissão de trabalho (que deve ser adquirida antes do embarque) precisam se registrar no Serviço de Imigração após a entrada no país.

Autorizações de trabalho para as pessoas que já vivem na Irlanda

Em determinadas circunstâncias, uma autorização de trabalho poderá ser emitida para pessoas que já residem legalmente na Irlanda com outro tipo de visto. Por exemplo, se você estudar no país e conseguir um emprego em uma das áreas que permitem esse tipo de visto (empregos altamente qualificados ou que estão em escassez de profissionais no mercado), pode solicitar o Work Permit ou Green Card. Se conseguir a permissão, deve então mudar seu status junto ao Serviço de Imigração.

 

DE FACTO VISA

casal

Foto: Divulgação

Quem está em uma relação e mora há mais de dois anos com um irlandês ou com um residente da Irlanda (stamp 1, 4 e 5) pode requerer o “De Facto” visto. Envie uma carta ao Serviço de Imigração contando um pouco sobre a relação do casal, data em que começaram a namorar e alguns detalhes da vida do casal, junto com documentos com datas que comprovem a relação de pelo menos dois anos, incluindo fotos, e-mails, telefonemas, mensagens de texto, comprovação de viagem juntos, etc. Inclua cópias dos dois passaportes, comprovante de residência no nome do casal, seguro-saúde do solicitante e comprovação de renda que demonstre que o requerente não precisa da ajuda do governo para viver no país (como extrato bancário, comprovante de trabalho etc). A resposta pode demorar até seis meses, então envie a carta com antecedência e não quando o visto estiver vencido. Mas se seu visto vencer enquanto ainda aguarda a resposta, não se preocupe. Você tem direito de permanecer no país enquanto aguarda a decisão, contudo, não poderá trabalhar durante esse período.

Você receberá uma carta de confirmação de recebimento da solicitação com um número de referência. Se precisar entrar em contato com o departamento durante o período de consideração (para mudança de endereço, por exemplo), envie outra carta com esse número de referência, uma vez que eles não possuem telefone para contato, nem atendimento presencial ao público. Todos os documentos serão devolvidos assim que analisados. Se forem muitos, inclua em sua correspondência os selos para o envio de devolução. Se a solicitação for aceita, você receberá uma carta e deverá comparecer no Serviço de Imigração junto com seu parceiro para receber o visto, que pode ser Stamp 3, que não permite trabalho, ou Stamp 4, que permite trabalho. Para quem pretende trabalhar, é aconselhável especificar na carta que está solicitando o Stamp 4 e que pretende trabalhar. Se mesmo assim conseguir o Stamp 3, escreva outra carta para o departamento explicando que realmente precisa trabalhar, pois em muitos casos eles concedem primeiro o Stamp 3 e depois o Stamp 4. O visto geralmente é de um ano. Depois desse período, basta comparecer no Serviço de Imigração novamente junto com seu parceiro e renovar o visto, ou seja, não é necessário requerer novamente. O GNIB custa os mesmos 300 euros dos demais vistos.

Fonte: Guia Irlanda

Receba Nossas Novidades
Nós respeitamos sua privacidade

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Show Buttons
Hide Buttons
error: Content is protected !!