Lifestyle

2 de maio de 2017

Como o café da manhã reflete a identidade cultural do Camboja

Tags:, ,

O café da manhã reflete a vida moderna e agitada do Camboja, mas seus sabores locais e históricos ainda são preservados. Descubra como uma refeição pode dizer tanto sobre a identidade cultural do Camboja.

O início do dia

No Camboja, o café da manhã nem sempre foi a refeição mais importante do dia. Muitos cambojanos que vivem nas zonas rurais começam seu dia nos campos de estômago vazio, beliscando creme de maça, cajá-manga ou goiaba enquanto trabalham, e param então para um almoço mais cedo, uma vez que o dia começa a esquentar.

Se eles comem uma refeição matinal em casa, é geralmente sobras de arroz cozido em um mingau grosso, com pedaços de peixe frito, seco ou embebido em água e servido com açúcar de palma e manga doce.

No entanto, as manhãs representam um desafio para os moradores urbanos que não têm tempo para preparar uma refeição em casa antes do dia de trabalho começar.

Camboja café
Campo de arroz nas zonas rurais.

Café da manhã no mercado

Na capital Phnom Penh, as manhãs são frenéticas. As motocicletas se espremem entre os carros nas ruas congestionadas da cidade criando o caos matinal. Nos últimos anos, os jovens cambojanos mudaram-se de suas províncias no interior para Phnom Penh, para obter melhores oportunidades de educação e emprego, contribuindo para o trânsito matutino e tendo ainda menos tempo para uma refeição apropriada.

Muitos trabalhadores da cidade acham mais fácil pegar algo para saborear enquanto estão a caminho do trabalho. Um “lanchinho” de macarrão ou arroz – em uma barraca de mercado (foto) – pode custar tão pouco como 3.000 riel (cerca de R$2,40).

Camboja café
O lanchinho chega a custar menos de R$2,40.

Comida para levar

Nom Korng, a versão cambojana das rosquinhas, é uma opção comum para se fazer um boquinha. Vendidos em mercados cambojanos, estes doces são feitos com farinha de arroz e cobertos com um esmalte de açúcar de palma crocante e sementes de gergelim.

Embora donuts sejam encontrados em todo o mundo, nom korng foi provavelmente desenvolvido sem muita influência externa. Mas outros pratos de café da manhã locais refletem os muitos países que moldaram a identidade cultural do Camboja ao longo de milhares de anos.

Camboja café
Nom korng, massa frita de arroz que se assemelha a um ‘donout’.

O café da manhã de verdade

O prato que define o café da manhã do Camboja é o banh chok – muitas vezes referido simplesmente como “macarrão Khmer” – é composto de macarrão de arroz fresco com um curry sutil feito de peixe pescado localmente em Tonle Sap. Especiarias como turmeric, oferece uma dica sobre a influência indiana de séculos atrás,  que também reflete a língua khmer, sistema de escrita e religião.

Camboja café
Banh chok.

A influência chinesa

Como um aliado poderoso ao longo dos anos, a China espalhou a sua influência em todo o Camboja – e o café da manhã não é exceção. Um pequeno-almoço popular no Camboja é uma sopa de macarrão chamada kuy teav, um nome que se pensa ser derivado de guǒtiáo, a palavra chinesa para um tipo de macarrão de arroz comum.

Camboja café
China e França influenciaram muito a cultura local.

Uma conexão culinária francesa

Os franceses também deixaram sua marca na cultura cambojana e na culinária. O país foi um protetorado francês de 1867 a 1941, e novamente após a Segunda Guerra Mundial até 1953, quando a nação ganhou a independência.

Os franceses introduziram baguetes para a Indochina, incluindo o Camboja, e o nome Khmer para o pão, ‘num pang’, deriva da palavra “dor” em francês. Baguetes são servidas com carne cozida no açúcar de palma ou um curry de frango suculento feito com uma base perfumada de erva-cidreira, açafrão e galangal (uma raiz semelhante ao gengibre).

Camboja café
Café adoçado e com gelo.

Uma doce bebida

Os franceses também incutiram nos cambojanos um grande amor pelo café. No Camboja, os grãos de café são tostados sobre o carvão vegetal, revestido então com o óleo ou a gordura da carne de porco. A água fervente é derramada sobre os grãos através de um filtro de pano em uma chaleira grande, geralmente de metal.

A bebida resultante é amarga e altamente cafeínada. Para compensar a amargura e atender ao paladar doce do Camboja, é servido com leite condensado adoçado ou ‘preto’ com várias colheres amontoadas de açúcar, geralmente sobre o gelo.

Café sendo tostado em Phnom Penh.

O favorito

Mesmo que muito do café da manhã no Camboja seja uma fusão de culinárias, os cambojanos reivindicam que alguns pratos do café da manhã são criações originais de lá. Enquanto muitos itens alimentares vendidos em mercados do Camboja são importados, pratos mais tradicionais dependem de ingredientes de origem local.

Um desses pratos é o bai sach chrouk: doce e defumado, é um grelhado de porco servido com arroz, rabanete e pepino. Outro prato matinal muito popular do Camboja é um mingau de arroz conhecido como bobor. Ele está profundamente enraizado na história cambojana e inclusive uma receita de bobor aparece em uma escultura da era Angkorian, datada do século 10.

Camboja café
Bai sach chrouk.

Créditos: Lina Goldberg para BBC.

Receba Nossas Novidades
Nós respeitamos sua privacidade

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Show Buttons
Hide Buttons
error: Content is protected !!